0

Tabela de Calorias

Quer saber quantas calorias tem aquele pãozinho que você comeu pela manhã? Ou aquela fatia de melancia que comeu depois do almoço?
Então visite a página que vai tirar suas dúvidas. Clique na legenda "Calorias".

 



Continue lendo >>
0

Fogachos

Sintomas do fogacho

As ondas de calor da menopausa surgem por uma desregulação no nosso mecanismo de controle térmico, aparentemente causada por diminuições dos níveis circulantes de estrogênio.

O fogacho costuma começar como uma sensação súbita de calor localizada na face e na parte superior do tórax, tornando-se rapidamente generalizada. Essa onda de calor ocorre por uma má interpretação da temperatura corporal real pelo hipotálamo, região do sistema nervoso central que age como termostato. A paciente sente-se muito quente, mas sua temperatura mantém-se normal, ao redor dos 36,5ºC.

A sensação de calor dura entre dois e quatro minutos e está frequentemente associada a intensa transpiração e vermelhidão da pele. Como o organismo pensa que o corpo está muito quente, ocorre uma inapropriada dilatação dos vasos da pele, o que leva à vermelhidão e à transpiração.

Com a vasodilatação, sudorese e consequente perda de calor, há uma rápida queda da temperatura corporal, causando uma leve hipotermia. Neste momento, o fogacho começa a se dissipar e surgem os calafrios, um mecanismo usado pelo corpo para gerar calor, numa tentativa de restaurar a temperatura habitual do organismo.

Em algumas mulheres as ondas de calor surgem várias vezes por dia, podendo também aparecer enquanto dormem. Os calores noturnos atrapalham o sono e podem levar à insônia. Se a paciente também tiver problemas como ansiedade ou depressão, comuns na idade da menopausa, podem surgir distúrbios importantes do sono.

O fogacho acomete até 3/4 das mulheres e costuma surgir quando a menopausa se aproxima. Em 80% dos casos as ondas de calor da menopausa duram por mais de um ano. Na maioria das vezes, o fogacho dura por dois ou três anos. Entretanto, 25% das mulheres sofrem com calores por mais de cinco anos e cerca de 10% mantém os sintomas até depois dos 70 anos de idade.

Mulheres com sobrepeso, fumantes ou sedentárias apresentam maior risco de desenvolver fogachos. Não se sabe o porquê, mas afrodescendentes têm mais fogachos que mulheres de origem europeia, que por sua vez têm mais fogachos que mulheres asiáticas.

Tratamento do fogacho

É sempre bom lembrar que o fogacho costuma desaparecer espontaneamente após alguns anos. Como muitas mulheres têm sintomas brandos, não se indica tratamento a não ser que os calores sejam realmente incômodos.

O tratamento mais efetivo para as ondas de calor da menopausa é a reposição de estrogênio, porém, atualmente, devido aos efeitos colaterais, seu uso só está indicado por curtos períodos (dois ou três anos) e em mulheres com sintomas de moderada a forte intensidade. O estrogênio pode ser administrado por via oral ou transdérmica. Nas mulheres que não retiraram o útero, o estrogênio de deve ser administrado junto com a progesterona para evitar proliferação da mucosa uterina, um efeito que aumenta o risco de câncer do endométrio (câncer do útero).

Pacientes com história de doença cardiovascular, trombose ou câncer de mama  não devem ser tratadas com estrogênios.

Outras opções de tratamentos incluem os antidepressivos (ex. fluoxetina ou citalopram), Gabapentina ou Clonidina, um medicamento usado no tratamento da hipertensão.

Tratamentos naturais para o fogacho

Algumas terapias não medicamentosas também ajudam. Perder peso e parar de fumar é imperativo. Evitar bebidas alcoólicas, comidas apimentadas e cafeína também funciona para algumas mulheres.

O calor piora os fogachos, por isso, no verão, procure ficar em ambientes ventilados ou com ar-condicionado. Use roupas leves e beba bastaste líquidos gelados.

A prática regular de atividades físicas e técnicas de relaxamento também são efetivas.

O uso de isoflavonas ou fitoestrogênios (estrogênios das plantas) não apresenta nenhuma comprovação científica. Pelo contrário, os trabalhos indicam que os mesmos possuem apenas efeito placebo e podem ser prejudiciais em mulheres com histórico de câncer de mama

Também não há evidências inequívocas de que a acupuntura tenha efeito no alívio dos calores da menopausa.

 Créditos


Continue lendo >>
0

Alimentação Equilibrada X Menopausa

Recentemente, um estudo norte-americano revelou que manter uma dieta com baixo teor de gordura ajuda na redução de sintomas da menopausa, como ondas de calor e os suores noturnos. A pesquisa avaliou mais de 17 mil mulheres que não faziam qualquer tipo de tratamento de reposição hormonal. Cerca de 40% das participantes fizeram alimentações com baixo teor de gorduras e rico em frutas, verduras e cereais integrais. Já as demais mantiveram sua alimentação costumeira. O resultado revelou que o público feminino que realizou a dieta estava 14% mais predisposta a eliminar os sintomas do problema.
“Esse estudo evidenciou que mulheres menopausadas que mantem uma dieta pobre em gordura e que reduzem o peso corporal têm melhora dos sintomas de fogachos e suores noturnos. Esses sintomas tendem a durar menos tempo também”, revela  a ginecologista e obstetra Denise Gomes, diretora-médica da Plena Clínica.
Se quiser ficar longe das ondas de calor, a alimentação equilibrada faz a diferença.

E não precisa esperar a menopausa chegar, já na meia-idade, a partir dos 30 anos, os alimentos precisam ser selecionados pensando no seu bem-estar. Produtos repletos de vitaminas do complexo C, zinco, cálcio, magnésio e selênio ajudam a amenizar as causas decorrentes dos déficits hormonais.
Rica em isoflavonas (que tem a função de substituir os hormônios que faltam por conta da menopausa), a soja aparece no topo dos alimentos que combatem os sintomas. Alface, pepinos e alimentos diuréticos em geral também ajudam bastante. O ideal é evitar sódio, consumo de álcool e fumo durante esse período. Produtos que contêm vitamina E, como girassol, palma, milho, soja e oliva são ajudam a diminuir as fontes de calor.
Perto e longe
Invista em alimentos crus, como frutas e verduras, pois diminuem a acidez do sangue. Abuse dos condimentos naturais, frescos ou secos, como cebola, alho, orégano, salsa e aumente o consumo de quinoa ou amaranto. Contudo, evite ao máximo alimentos ricos em gorduras saturadas e os refinados, molhos prontos para saladas e açúcar em excesso, pois ajuda para as alterações de humor.
Créditos
Ginecologista e obstetra Denise Gomes
www.plenaclinica.com.br


Continue lendo >>
0

Gramas a menos!

Bom dia!

Postei meu peso de hoje...espero incentivar quem estiver se preparando para iniciar um programa de emagrecimento. Entenda, o importante não é o tipo de dieta que irá seguir. Normalmente, nem tudo que é bom para um é necessariamente bom para todos. O importante mesmo é a mudança de atitude!
Bom Domingo!


Continue lendo >>
0

Sobre este espaço...

Criei este blog a fim de trocar experiências e de uma certa forma fazer com que eu me mantenha firme sore o propósito não só em emagrecer, porém ter qualidade de vida.
O corpo é nosso templo e precisamos cuidar dele com o máximo de carinho possível.
Se você que visita este espaço acredita nisso, compartilhe suas experiências aqui. 


Continue lendo >>